quinta-feira, 2 de junho de 2011

Adolescente é agredida, perde um rim e morre

"Por causa das agressões, a vítima perdeu um rim e parte do intestino. O agressor chegou a dar um banho na jovem para conseguir retomar a violência."

O caso aconteceu em Belo Horizonte e foi noticiado pelo jornal O Globo, como se pode ler na reprodução da notícia abaixo. E, mesmo diante de barbáries como essa, que se repetem à exaustão, aquele pessoal do Núcleo de Estudos de Violência da USP continua achando que barbárie é defender a pena de morte.

Não se deve esquercer como será a prisão que espera um monstro desses, caso seja capturado: psicólogos; dentistas; professores; assistentes sociais; auxílio-reclusão; visitas íntimas; seis saídas anuais, inclusive no Dia dos Pais e Dia da Páscoa; sem contar o semi-aberto que o espera após cumprir apenas um sexto da pena. E, claro, o pessoal dos direitos humanos, começando pelo Conselho Nacional de Justiça, sempre preocupado com a unha encravada dos presos. E, se depender da ministra Ellen Gracie, do Supremo, caso o monstro disponha de um bom advogado, pode até pedir habeas-corpus nesse momento em que está foragido, evitando, com isso, ser preso.

Eu não tenho a menor dúvida: Justiça não é educação nem recuperação de bandido. A verdadeira Justiça é -- e tem de ser -- vingança, sim. Um crime desses clama aos céus. Se o elemento que comete tamanha barbaridade não têm a dignidade de se suicidar em seguida, isso significa que ele não sente o mínimo remorso pelo que fez e precisa ser eliminado.

Pena de morte é sinônimo de civilização. Quando uma sociedade, a pretexto de parecer civilizada, abdica de vingar a morte dos inocentes e ainda por cima se condói de seu algoz, ela já se tornou bárbara e não sabe.

Vejam a notícia:

Casa de acusado de torturar adolescente até a morte é incendiada em Minas Gerais


Belo Horizonte - A casa do acusado de torturar a companheira adolescente de 17 anos ficou destruída após ser incendiada em Patos de Minas, em Minas Gerais. O fato aconteceu nesta terça-feira, mesmo dia em que a menor morreu. Ela foi torturada por 12 horas, no fim de semana, chegou a ser submetida a cirurgias e foi levada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu aos ferimentos. O acusado continua foragido.


Por causa das agressões, a vítima perdeu um rim e parte do intestino. Segundo a polícia, as agressões começaram na madrugada de sábado. Na tarde do mesmo dia, o agressor, identificado como Márcio Silvio Pereira, de 26 anos, chegou a dar um banho na jovem para conseguir retomar a violência.

- Quando ele percebeu que ela não conseguia se mexer, nem levantar, ele a trancou na residência - contou a tenente Raquel Bessa.

Quase 24 horas depois, a polícia e os bombeiros foram acionados. A polícia deve pedir prisão preventiva e o acusado deve responder por homicídio.

A mãe da jovem disse que ele ligou para a casa dela e a ameaçou.

- Quero justiça, ele está solto e está me ligando, me ameaçando - contou a mãe da adolescente.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2011/06/01/casa-de-acusado-de-torturar-adolescente-ate-morte-incendiada-em-minas-gerais-924583098.asp#ixzz1O5heylhs
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Nenhum comentário: